23 outubro 2007

“OH! SE FENDESSES OS CÉUS E DECESSES!”

O profeta cheio de ardor em seu coração, quiçá com suas mãos erguidas aos céus, ainda que sua cabeça permaneceu reclinada, seus olhos cheios de lágrimas, elevou sua voz e intensamente clamou: “Oh! Se fendesses os céus e descesses! Se os montes escoassem diante da Tua face!” (Isaías 64:1-3).

Nos dias do profeta, como hoje, pés também correm para o mal, apressando-se para derramar o sangue inocente. As estradas estão cheias de destruição e quebrantamento. O juízo e a justiça longínquos. A verdade desfalece - violência, corrupção e maldade sem medida.

Os líderes religiosos, envoltos em avareza, estão desacreditados pelas suas práticas mercantilistas. A indiferença do povo pelas coisas de Deus, cada um ocupado com seus próprios planos e afazeres. O Senhor onipresente não està no meio deles. Verdadeiramente Ele està acima das nuvens negras, e o céu de nuvens abaixo selado em bronze escuro.

“Oh! Se fendesses os céus e decesses!” - clamou ardentemente o profeta muitas vezes, e Deus, consigo mesmo, resolveu responder.

Deus abriu uma pequena fenda nos céus e enviou um anjo até um sacerdote ocupado com os assuntos de Deus chamado Zacarias, para anunciar que sua esposa estéril (de ventre selado como os céus de Israel) daria a luz a um profeta, João, que anunciaria a resposta à oração centenária de outro.

Deus abriu outra pequena fenda, e enviou o mesmo anjo para visitar uma mocinha da roça, chamada Maria, para anunciar que ela daria a luz à resposta da oração centenária do profeta Isaías.

“Oh! Se fendesses os céus e decesses!” continuava ressonando nas moradas altíssimas de Deus até que Ele deu um passo, pequenino, e desceu. Ao descer, os céus fenderam-se e abriram-se. Somente alguns poucos pastores sem importância assistiram aos céus abertos. E o restantes dos homens não viram quando os montes se escoaram diante da Sua face. Os adversários pasmaram ante a notoriedade de Seu Nome. Mesmo sem perceberem, as nações tremeram diante da Sua presença. Sim, os céus se fenderam e Jesus desceu. Deus se fez carne e habitou entre nós.

Avivamento é a chegada de Jesus. Quando Jesus chega coisas terríveis acontecem. O povo recorda-se dos grandes feitos dEle no passado e a memória recente dos famosos se dissipa e desaparece. O povo pára de tropeçar, pecar e experimenta descanso do Espírito do Senhor. O zelo pelo Senhor e pelo Seu Reino torna-se sua plena ocupação.

A bondade e a compaixão inundam de vida os corações das pessoas enquanto relacionamentos se enchem de fervor e de consideração mútua. Barreiras caem, reconciliações abundam e como ninguém é importante – só Jesus – todos se abraçam e vivem em sintonia. Os nomes perdem o sentido, as estrelas caem, e se alguém é mencionado, só por respeito e carinho, mas nunca para evidência. Notório, somente o Nome de Jesus.

O povo, com alegria, passa a praticar a justiça; e em tudo o que faz lembra-se do Senhor em todos os seus caminhos. O que chama de secular se torna sagrado e o que era sagrado continua sendo sagrado em qualquer lugar.

Jesus com Sua chegada - Palavra e Poder - sacudiu a religião dos homens. Como Jesus alvoroçou as reuniões sabáticas das sinagogas! Em sua própria cidade ofendeu a maioria dos que O conheciam desde criança. Com a mesma intensidade Sua chegada queimará a lenha de nossos cultos e ofertas religiosas, porque nossas reuniões são previsíveis, programáticas e bitoladas pelos limites de nossos planos e agenda.

Jesus viveu como um Leão. Só se tornou Cordeiro à caminho do Calvário. Era feroz contra a hipocrisia dos pastores e padres de sua época. Sim, Ele nos encherá de furor e ódio contra o pecado, a hipocrisia, a injustiça e a miséria.

A chegada de Jesus muda estruturas, transforma modelos, traz de novo o sobrenatural. O Temor do Senhor e a expectativa ardente pelo próximo mover encherão o coração do que é maravilhoso.

Jesus com Sua presença poderosa e pertubadora destruirá nosso conforto - “modus vivendi” e nos encherá de zelo exagerado pela Sua causa em alcançar os perdidos.

Jesus transformará os nossos corações. Verdadeiramente quem é salvo salvo será, e como salvo viverá. E a Santidade do Senhor será a marca na vida de pessoas que pela força se apossarão do Reino de Deus. Desde agora e para sempre.

10/23/07

Um comentário:

Mateus Starling disse...

Amado amigo e irmão Salum, como sempre me sinto co-autor de suas palavras, não porque influenciei-as, mas somente porque acreditamos e nos descontentamos em um mesmo coração.
Nestes poucos mais de 3 anos em que sigo a Jesus, já acreditei que pastores eram homens de Deus por excelência, já acreditei, também, que muitos se entregaram ao cansaço e também que muitos se modernizaram, mas por fim, percebi que não é uma questão de acreditar, mas existem “homens” de Deus e “Homens” de Deus.
Se fendesses os céus e descesses o nosso Deus acredito que teriam muitos pastores pedindo tie break, prorrogação, réplica, contestação, direito de resposta.
Obrigado por suas palavras.
Em Cristo Mateus Starling