31 dezembro 2009

APÓSTOLOS SEGUNDO AS ESCRITURAS – Parte II

Josimar Salum

Os apóstolos no Novo Testamento

Existem biblicamente os apóstolos que foram escolhidos por Jesus antes de Sua ressurreição e os outros apóstolos que foram dados aos homens por Jesus após a sua ressurreição.

1) Matias

“Então deitaram sortes a respeito deles e caiu a sorte sobre Matias, e por voto comum foi ele contado com os onze apóstolos.” (Atos 1:26 RA)

2) Barnabé

“Quando, porém, os apóstolos Barnabé e Paulo ouviram isto, rasgaram as suas vestes e saltaram para o meio da multidão, clamando.” (At. 14:14 RA)

3) Andrônico e Junias

“Saudai a Andrônico e a Júnias, meus parentes e meus companheiros de prisão, os quais são bem conceituados entre os apóstolos, e que estavam em Cristo antes de mim.” (Romanos 16:7 RA)

4) Tiago, irmão de Jesus

“Mas não vi a nenhum outro dos apóstolos, senão a Tiago, irmão do Senhor.” (Gálatas 1:19 RA)

5) Judas e Silas.

“Então pareceu bem aos apóstolos e aos anciãos com toda a igreja escolher homens dentre eles e enviá-los a Antioquia com Paulo e Barnabé, a saber: Judas, chamado Barsabás, e Silas, homens influentes entre os irmãos.
Enviamos portanto Judas e Silas, os quais também por palavra vos anunciarão as mesmas coisas.

Depois Judas e Silas, que também eram profetas, exortaram os irmãos com muitas palavras e os fortaleceram.” (Atos 15:22, 27 & 32)

6) Silvano e Timóteo

“Paulo, Silvano e Timóteo, à igreja dos tessalonicenses, em Deus Pai e no Senhor Jesus Cristo: Graça e paz vos sejam dadas.

(...) Nem buscamos glória de homens, quer de vós, quer de outros, embora pudéssemos, como apóstolos de Cristo, ser-vos pesados; antes nos apresentamos brandos entre vós, qual ama que acaricia seus próprios filhos.” (I Tessalonicenses 1:1; 2:6-7)

7) Tito e outros dois irmãos

“Mas, graças a Deus, que pôs no coração de Tito a mesma solicitude por vós; pois, com efeito, aceitou a nossa exortação; mas sendo sobremodo zeloso, foi por sua própria vontade que partiu para vós.

E juntamente com ele enviamos o irmão cujo louvor no evangelho se tem espalhado por todas as igrejas; e não só isto, mas também foi escolhido pelas igrejas para ser nosso companheiro de viagem no tocante a esta graça que por nós é ministrada para glória do Senhor e para provar a nossa boa vontade; assim evitando que alguém nos censure com referência a esta abundância, que por nós é ministrada; pois zelamos o que é honesto, não só diante do Senhor, mas também diante dos homens.

Com eles enviamos também outro nosso irmão, o qual muitas vezes e em muitas coisas já experimentamos ser zeloso, mas agora muito mais zeloso ainda pela muita confiança que vós tem.

Quanto a Tito, ele é meu companheiro e cooperador para convosco; quanto a nosssos irmãos, são mensageiros das igrejas (no grego: apóstolos das igrejas), glória de Cristo. (II Coríntios 8:16-23 RA)

8) Epafrodito (embora seja identificado como apóstolo da igreja em Filipos)

“Julguei, contudo, necessário enviar-vos Epafrodito, meu irmão, e cooperador, e companheiro nas lutas, e vosso enviado (no grego, o vosso apóstolo) para me socorrer nas minhas necessidades.” (Filipenses 2:2)

Jesus deu dons aos homens e às mulheres

Os dons ministeriais não são exclusivos aos homens. Jesus batiza com o Espírito Santo e usa homens e mulheres igualmente. São discípulos de Jesus tanto homens quanto mulheres que para realizarem a obra de Deus necessitam dos dons de Deus.

“E cada vez mais se agregavam crentes ao Senhor em grande número tanto de homens como de mulheres.” (Atos 5:14 RA)

Lemos nas páginas do Novo Testamento sobre mulheres atuavam no ministério com dons específicos:

“E entrando em casa de Felipe, o evangelista, que era um dos sete, ficamos com ele. Tinha este quatro filhas virgens que profetizavam.” (Atos 21:8-9 RA)

“Saudai a Prisca e a Áqüila, meus cooperadores em Cristo Jesus, os quais pela minha vida expuseram as suas cabeças; o que não só eu lhes agradeço, mas também todas as igrejas dos gentios.” (Romanos 16:2-4 RA)

“Ora, chegou a Éfeso certo judeu chamado Apolo, natural de Alexandria, homem eloqüente e poderoso nas Escrituras. Era ele instruído no caminho do Senhor e, sendo fervoroso de espírito, falava e ensinava com precisão as coisas concernentes a Jesus, conhecendo entretanto somente o batismo de João. Ele começou a falar ousadamente na sinagoga: mas quando Priscila e Áqüila o ouviram, levaram-no consigo e lhe expuseram com mais precisão o caminho de Deus.” (Atos 18:24-26)

“As mulheres idosas, semelhantemente, que sejam reverentes no seu viver, não caluniadoras, não dadas a muito vinho, mestras do bem, para que ensinem as mulheres novas a amarem aos seus maridos e filhos.” (Tito 2:3-4 RA)
Parece controvertido para muitos reconhecer que Júnias seja uma “apóstolo”, ou tenha sido destacado seu ministério entre os apóstolos como tal.

“Saudai a Andrônico e a Júnias, meus parentes e meus companheiros de prisão, os quais são bem conceituados entre os apóstolos, e que estavam em Cristo antes de mim.” (Romanos 16:7 RA)

É fato que a palavra "apóstolo" no texto neo-testamentário grego não aparece no feminino, nem profeta, nem evangelista, etc.

Mas é claro no Novo Testamento o ensino que “em Cristo não há judeu nem grego, nem macho nem fêmea” e no Corpo todos somos membros uns dos outros.

O problema é que se confunde “minístérios” com o “governo” da Igreja, ministério com presbistério.

Os presbíteros, discípulos de Jesus, das comunidades ou cidades do Novo Testamento, constituídos pelo Espírito Santo para apascentarem, lideravam a igreja de Deus. Em cada cidade havia um grupo de presbíteros que pastoreava a Igreja de Deus. O pastoreio segundo o Novo Testamento era sempre exercido coletivamente e não individualmente.

“A razão de tê-lo deixado em Creta foi para que você pusesse em ordem o que ainda faltava e constituísse presbíteros em cada cidade, como eu o instruí.” (Tito 1:5 NVI)

Pedro reconheceu a si mesmo um presbitério com e entre os outros e não superior a eles. É estranho ao Novo Testamento a prática de um “presbítero” ser superior aos outros, do mesmo modo que não havia nenhum apóstolo superior ao outro.

“Portanto, apelo para os presbíteros que há entre vocês, e o faço na qualidade de presbítero como eles... pastoreiem o rebanho de Deus que está aos seus cuidados. (...) Quando se manifestar o Supremo Pastor, vocês receberão a imperecível coroa da glória.” (I Pedro 5:4)

O vocábulo “presbyteros” no grego significa literalmente “mais velho”. Era considerado no mundo do Novo Testamento presbítero um homem acima de quarenta anos de idade.

É também fato incontestável que não há nenhuma menção no Novo Testamento do vocábulo "presbyteros" na forma feminina e nenhum nome de mulher atuando como "presbítero" em nenhuma das igrejas citadas no Novo Testamento.

Portanto, não se pode confundir ministério com presbitério. Não há nenhuma restrição no Novo Testamento de que mulheres possam exercer seus dons ministeriais conquanto o episcopado seja claramente e exclusivamente destinado aos homens.

“Fiel é esta palavra: Se alguém aspira ao episcopado, excelente obra deseja. É necessário, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma só mulher, temperante, sóbrio, ordeiro, hospitaleiro, apto para ensinar.” (I Timóteo 3:1-2)

Vale lembrar que no mundo do Novo Testamento haviam presbíteros tanto no mercado, quanto nas praças, nas casas, nos postos governamentais, etc. como também haviam presbíteros nas igrejas. A palavra presbítero tem a ver com idade, portanto um jovem (do grego neóteros) não podia pastorear a igreja de Deus porque simplesmente não era “presbyteros” (mais velho).

E nem todo o presbítero (homem mais velho) da igreja era constituído "bispo" para pastorear o rebanho de Deus. Somente aqueles que preenchiam as qualificações bíblicas e eram escolhidos pelo Espírito de Deus, geralmente estabelecidos pelos apóstolos e nunca foram escolhidos pelos santos. É desconhecido no Novo Testamento o processo de eleição, onde crentes votam para escolher seus líderes.

Assim, quando a Palavra de Deus usa o termo "deu dons aos homens" não diz respeito somente aos homens. Uma mulher pode exercer o ministério pastoral, de ensino, de evangelista, de mestre, profeta e de apóstolo, mas nunca no Novo testamento foi constituída como "bispo" para apascentar o rebanho de Deus.

CLIQUE AQUI: Sobre o ensino do Rev. Augusto Nicodemos 
acerca dos “apóstolos bíblicos”.

APÓSTOLOS SEGUNDO AS ESCRITURAS – Parte I

APÓSTOLOS SEGUNDO AS ESCRITURAS – Parte III 

http://jsalum.blogspot.com/2009/12/apostolos-segundo-as-escrituras-parte_31.html

6 comentários:

Luiz Fernando Ramos de Souza disse...

Luiz Fernando Ramos de Souza

Prezado apóstolo Josimar Salum,
Somente algumas considerações:
Sua citação: "É fato que a palavra "apóstolo" no texto neo-testamentário grego não aparece no feminino, nem profeta, nem evangelista, etc.
Mas é claro no Novo Testamento o ensino que “em Cristo não há judeu nem grego, nem macho nem fêmea” e no Corpo todos somos membros uns dos outros
".
Não existe realmente no grego nada no feminino. Agora já se perguntou por que? Se lembrarmos que o Espírito Santo foi soberano na inspiração das Escrituras, por que será que Ele não quis inspirar os autores para grafarem os termos ligados ao ministério no feminino? Se cremos que as Escrituras são inspiradas então devemos crer que o Espírito Santo somente quis no masculino e nunca no feminino. Não podemos ultrapassar as Escrituras.
Outra questão e essa envolve um pouco de exegese é que o texto citado foi de Gal. 3:28 e esse texto fala de salvação e não de ministério pastoral. Usá-lo fora do contexto é violentá-lo a dizer o que não quer dizer. Creio que seu argumento carece de melhor embasamento bíblico.


"Portanto, não se pode confundir ministério com presbitério. Não há nenhuma restrição no Novo Testamento de que mulheres possam exercer seus dons ministeriais conquanto o episcopado seja claramente e exclusivamente destinado aos homens".
O que são dons ministeriais femininos? Quais seriam estes dons? O término de seu argumento é contraditório. Acredito que seu embasamento esteja um pouco confuso. A afirmação que não existe confusão entre governo e ministério é estranha ao Novo Testamento. Quem tinha o ministério também detinha o governo. A tentativa de diferenciação de presbítero e governo é no mínimo infantil, pois, no Novo Testamento os termos pastor, presbítero e bispo são termos intercambiáveis descrevendo a mesma função em seus vários aspectos. Qualquer dicionário simplérrimo de teologia do Novo Testamento vai dizer isso ou qualquer livro de teologia também o fará. Basta ler Atos.
Quando você cita "Fiel é esta palavra: Se alguém aspira ao episcopado, excelente obra deseja. É necessário, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma só mulher, temperante, sóbrio, ordeiro, hospitaleiro, apto para ensinar.” (I Timóteo 3:1-2), ficaria muito estranho pensar em uma pastora ou apóstola sendo marido de uma só mulher e os demais adjetivos todos no masculino. Na gravação de um programa de televisão fiz uma pergunta a 04 pastoras que debatiam comigo esse assunto envolvendo esse texto. Pedi que elas me explicassem como uma pastora poderia ser marido de uma só mulher. Nada disseram.
Quando o irmão diz que não existe restrições ao ministério feminino no Novo Testamento acho isso muito estranho. E as passagens de I Cor. Timóteo etc. nas quais Paulo faz restrição ao ministério feminino?
"Assim, quando a Palavra de Deus usa o termo "deu dons aos homens" não diz respeito somente aos homens. Uma mulher pode exercer o ministério pastoral, de ensino, de evangelista, de mestre, profeta e de apóstolo, mas nunca no Novo testamento foi constituída como "bispo" para apascentar o rebanho de Deus".
Seu modo de interpretar a Palavra deve estar sem base exegética e hermeneútica. Nenhum lexico de grego concordaria com isso. Quando interpretamos a Bíblia o fazemos com todos os auxílios das disciplinas afins. Se interpretarmos a Bíblia do modo como o irmão interpreta tornamo-la esquizofrênica, departamentalizada. Nunca se conseguira fechar o todo.
Acredito que o peixe comprado não estava de boa qualidade.
Mas mesmo assim vamos continuar ganhando almas para Cristo.
Naquele que não me fez apóstolo, mas pastor.
Um abraço
Pr. Luiz Fernando

israel roosevelth disse...

israel roosevelth


É muita benção de Deus obter esses Estudos.
Estamos com uma crise muito grande, pois tem muitos jovens que querem entender a Bíblia, mas falta ferramenta para o trabalho.
Estarewi na minha casa com 15 jovedns iniciando os estudos Bíblico, pois na sua igreja não tem trabalho para jovens e nada , nada que diz respeito sobre a idade, os colegas de nossos filhos pediram estudos e estarei nas quartas feiras relizando um estudo Bíblico com eles.
Pr.missionário Robson Scofield

FMS - Família Missionária Scofield (85)8732.0616 / (85)9939.8452

Horacio Silveira disse...

Horacio Silveira

date Tue, Sep 15, 2009 at 8:41 AM

subject Re: APÓSTOLOS SEGUNDO AS ESCRITURAS – Parte II

Muito obrigado pelo auxílio em meu ministério, com as ministrações "Apóstolos segundo as Escrituras". Vou usar quando for ministrar sobre o assunto. Grande abraço. Apóstolo Horacio Silveira. Agradeço também a Deus pelo seu vilioso ministério de apoio.

claudio pinheiro disse...

claudio pinheiro

date Tue, Sep 15, 2009 at 11:01 AM

subject RE: APÓSTOLOS SEGUNDO AS ESCRITURAS – Parte II

Querido companheiro Pr.Josimar Salum.

Obrigado por esta mensagem. E realmente edificante. Sempre recebo suas mensagens.

Deus te abencoe.Sem duvida esta nos trazendo crescimento.

Um forte abraco,

Pr.Claudio Pinheiro

Rev. Carlos A. Boaventura disse...

Rev. Carlos A. Boaventura

date Tue, Sep 15, 2009 at 7:44 PM

subject Re: APÓSTOLOS SEGUNDO AS ESCRITURAS – Parte II


Que desafiante apologia.

Saude,

CB
COG-Angola

Pastor Carlos Boaventura, Ph.D.
Igreja de Deus de Língua Portuguesa
398 County St.
Fall River, MA - USA
Fone: 508-673-1564

Correspondências:

P.O. Box 132
Fall River, MA 02724
USA

Josimar Salum disse...

Amado amigo e irmão Pr. Luiz, depois que o irmão ler todos os textos que escrevi sobre apóstolos segundo às Escrituras poderei realmente responder suas indagações. Não me fale em exegese do NT, porque não fez nenhuma, apenas opinou segundo seu entendimento batista.

Abração

Josimar Salum